Buscar
  • Exxtend

Tipos de Purificação Exxtend

Devido às características inerentes do processo de síntese de oligos, o produto final da síntese terá, além dos oligos completos, uma porcentagem de sequências truncadas (incompletas), restos de reagentes, sais e subprodutos da síntese que precisam ser removidos. Por isso, o tipo de purificação a ser escolhido é importante para garantir o grau de pureza que sua pesquisa precisa. A Exxtend oferece três métodos de purificação de oligos que devem ser solicitados conforme as suas aplicações: Dessalinização, RP-OPC e HPLC. Purificação por Dessalinização: A coluna para dessalinização é composta de um gel poroso em que as partículas são separadas com base em seus tamanhos moleculares. Na dessalinização são removidos os sais e oligos incompletos pequenos, mas não são removidas as sequências truncadas de tamanho próximo ao do oligo solicitado. Os oligos dessalinizados podem ser usados principalmente para PCR convencional, porque nestes casos as sequências incompletas não afetarão os resultados. Purificação por RP-OPC: O cartucho de purificação de oligos por fase reversa (Reverse-Phase Oligonucleotide Purification Cartridge) consiste em uma coluna preenchida por resina polimérica de alta performance. O método baseia-se na forte ligação entre a resina do cartucho e o agrupamento DMT deixado na extremidade 5’ de todos os oligos completos, separando-os dos incompletos. Esta purificação também retira os sais e impurezas. É similar à purificação HPLC, mas com menor grau de pureza, sendo indicada para PCR, qPCR, sequenciamento, microarray, blotting, clonagem, entre outros. Para algumas aplicações é fundamental estar presente apenas a sequência completa do oligo. Purificação por HPLC: A Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (High Performance Liquid Chromatography) também se baseia na afinidade entre oligos completos e a coluna de purificação. Entretanto, o grau de pureza desta purificação é maior em relação à RP-OPC. O método utiliza um gradiente de concentração de reagentes, retirando progressivamente as impurezas conforme a interação dos analitos com a coluna. O processo de purificação é controlado por um espectrofotômetro acoplado, que permite que o produto puro seja coletando quando o pico desejado é visualizado, assim conseguimos resgatar apenas os oligos completos livres de impurezas, inclusive de restos de fluoróforos (marcações fluorescentes). Indicamos a purificação por HPLC para sondas, oligos marcados, oligos longos, clonagem e para fins que exigem oligos muito puros.


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo